Luto é amor para além da vida

A nossa natureza humana vai trazer ao longo da nossa vida a experiência da perda. Enfrentar a dor do luto nessa jornada é parte do caminho quando escolhemos amar alguém. Então não há como fugir: perder, perder-se, ser a pessoa perdida são as faces possíveis destas ausências que vamos conhecer ao longo da vida.
E não me refiro somente a perda de uma pessoa que você ame muito, pois o luto também acontece em situações de nossas vidas, como mudar de cidade, trocar de emprego, morte de um animal de estimação, rompimento de um relacionamento amoroso. Todas essas questões geram sofrimento para quem vive.

Recentemente durante uma aula num curso sobre a dor do luto, fiz uma proposta de entendimento desta dor com base na definição para a dor física que aprendemos nas especializações sobre o tema. Deixo aqui o que eu trouxe para esta descrição: A DOR DO LUTO É UMA EXPERIÊNCIA EMOCIONAL E SENSITIVA DESAGRADÁVEL ASSOCIADA OU SEMELHANTE ÀQUELA ASSOCIADA, A UMA PERDA AFETIVA SIGNIFICATIVA REAL OU POTENCIAL. (ACQA, 2023)

A dor do luto potencial acontece durante o tempo do luto antecipatório – período que começa com a notícia da morte anunciada (quando a pessoa tem uma doença grave, em progressão e que vai ter uma grande chance de falecer em decorrência desta doença).
O processo de luto não tem tempo estipulado, cada pessoa sente de uma maneira, pois as dores não cabem em rótulos, expectativas ou em manuais. O luto não tem fim, mas a dor que ele precisa expor pode ter fim, ou ao menos, um enorme alívio. Este processo da travessia da dor do luto requer paciência, compaixão e muita dedicação ao autoconhecimento.
E para conhecer o caminho adiante, rumo ao futuro que nos aguarda pacientemente, precisamos falar sobre isso. E para falar sobre perder pode ser difícil de encontrar quem tenha coragem de ouvir. Afinal toda nossa educação busca o tema de ganhar, adquirir, conquistar. Nunca se aprende a perder.

E SE FALARMOS ABERTAMENTE SOBRE AS PERDAS E AS DORES QUE ELAS NOS CAUSAM?

E SE NOS PERMITIRMOS MERGULHAR NESSAS PERDAS E DORES COM MAIS GENTILEZA?

Embora o caminho de reencontrar o caminho em um cenário de dor e saudade seja complexo, não é impossível de ser atravessado. A vida, o tempo e as memórias darão espaço para que a pessoa que morreu passe a viver dentro do seu coração: isso é restabelecer o vínculo afetivo.
É deixar as conexões de amor se manterem, apesar da ausência física. É honrar o legado daquela pessoa. É saber resgatar as lembranças de amor e se dedicar com bondade para a reconstrução da nossa alegria. Ela não está perdida, está apenas nos aguardando mais adiante.

Onde a sua alegria se esconde depois que descobre que a única coisa que fica de uma pessoa que morreu na sua história é o amor que vocês viveram nesse tempo lado a lado?

51 Responses

  1. Nunca havia vivenciado a dor do luto.
    Mas agora vejo que é uma das piores dores que possa existir. Ela não é apenas uma dor, é emocionalmente devastadora, uma dor que a gente dorme, acorda e a dor está ali dentro de você, não adianta mudar de casa, de cidade e nem de continente porque essa dor está dentro de nós e nos acompanha onde quer que estejamos.
    As pessoas querem que passe logo, “já faz tanto tempo”, “reaja a vida continua”, ninguém gosta de ver a dor das pessoas, isso incomoda.
    Mas não existe um botão liga e desliga, não é duma dor que você toma um remédio e adir some.
    Ela corrói tudo dentro da gente, nos deixa como zumbis, fazemos e agimos como as pessoas querem e isso dói mais ainda.
    O mundo muda em questão de segundos, a vida já não tem sentido, as lembranças boas ou nem tanto tem o mesmo peso e você pensar em “nunca mais” faz você morrer a cada dia.
    E depois essa dor traz a depressão, ansiedade, síndromes de pânico, e vem psiquiatras, remédios, terapias e nada ameniza a dor e aí ela passa a extravasar de dentro para fora e vem as dores físicas que os médicos e exames dizem não existir e bastava só uma volta para curar tudo.

    1. Jussiara, você descreveu o luto perfeitamente! Tudo muda e, no meio disso tudo, precisamos redescobrir quem somos e aprender a lidar com aquela dor até então desconhecida. Desejamos força e amor para você. ❤️
      Com carinho,
      Equipe ACQA.

    2. A dor da saudade é algo indescritível. Eu ainda não sei lidar com ela. Perdi meu pai e minha mãe na pandemia, e ainda não encontrei motivos para seguir em frente. Muito difícil…

    3. Sua definição sobre essa dor é a mais verdadeira, somente quem atravessa a perda de um ente que é muito amado para sentir, pois não há palavras e nem formas de saber a não ser quando se está dentro desta dor… Saber que nunca mais seremos a mesma pessoa que éramos antes da perda… O tempo passa, vivemos em busca do que fomos mesmo sabendo que não há volta. Muita dor, muita dor….

    4. Desculpe e me perdoe se por aqui estou a lhe escrever; por um acaso também ainda vivo e estou em luto que este ano, final de março de 2024 farão 3 anos morte de minha falecida esposa, casado há 28 anos + mais quase 9 anos de namoro e noivado e nem se quer tive o prazer ou privilégio de ter tido filho, mas tudo bem, mesmo assim fomos felizes e nunca reclamamos. Nao estou aqui a escrever, substimando a dor de ninguém nesse mundo de Deus e particularmente nesse site que trata da dor do luto, pois a nossa régua não mede o mundo e principalmente, o mundo particular, exclusivo e privativo de cada um ser humano, pois a régua da gente só serve para gente mesmo, e para mais nada, pois nao temos controle de nada e também não somos nada e não sabemos de quase nada… A vida é movimento, a vida não é imobilidade, a cada segundo o tempo passa e tudo muda e a única certeza absoluta 100% que a vida nos dá é o direito de saber que, todos, iremos um dia, mais cedo ou mais tarde, também morrer, logo, tempo vale ouro e não temos tempo a perder, enquanto há tempo, não perca tempo de viver, das surpresas que a vida traz, seja lá boa ou ruim, mas faz parte dessa nossa única vida, pois aqui na Terra, só se vive uma vez, por isso que ela é única e exclusiva e é uma espécie de aposta com probabilidades (perdas e ganhos). Todos os seres humanos aqui na Terra tem seus mortos dentro de seus armários psíquicos em memória, assim como também tem seu passado, devemos acolher, respeitar e tentar entender a dor de si mesmo e do outro, tudo bem, é justo, porém deixar de viver e reclamar o resto da vida que já curta e passageira em função das nossas perdas, é perca de tempo, pois todas as vidas aqui nesse Planeta, há ganhos e perdas. O ciclo do outro terminou, mas do seu próximo ainda está para terminar também algum dia, então, mesmo convivendo com a dor e a saudade eterna em termos de memória, ainda que seja justo, siga em frente e tente caminhar sem olhar muito pelo retrovisor, o seu passado, pois o próprio nome já diz: passou, não tem mais volta, não tem o que fazer; o futuro é incerto e imprevissível e só a DEUS pertence, logo, só nos resta viver o AQUI E AGORA, o instante presente dado também por DEUS. Não deixe que essa perda ou perdas, saudade e dor, vire uma doença que se conhece e a chamam de OBSESSÃO. Quem ficou, não vai voltar a viver, pois você ainda está viva; então, viva a vida enquanto ainda lhe resta vida. Quando perdemos alguém que nos foi muito especial e que amamos, é natural e óbvio demorar um certo tempo até reorganizar as coisas dentro da gente, e para isso pode-se fazer algumas coisas que talvez nos ajude não a esquecer, mas a não lembar muito e deixar a coisa seguir em paz… A mente da gente funciona como um corpo, tipo mente sã, corpo são; como exemplo: se eu levo um corte no braço, isso vai dor e precisa deixar quieto para curar porque vai criando uma casquinha, mas se eu passo a unha e arranco a casquinha, vez ou outra, sangra, e o luto é assim também, a mente sangra, e sangra novamente e novamente, caso você escolha… É desse jeito que funciona a nossa mente. Portanto, deixo aqui uma sugestão, que não é nada fácil, mas tente ao máximo e o melhor possível ficar quieta e respeitar esse seu momento para que isso vá se catrizando aos poucos. Liberte-se em pensamentos e tente não lembrar, relembrar, remexer, etc no seu passado. Pensamento positivo, gratidao e humildade sempre por tudo em nome de DEUS. Aqui, é uma ESCOLA, lembre-se disso também. AMÉM! Abraço afetuoso e respeitoso e um beijo de um espírito em seu coração.

    5. Perfeita a sua definição de dor. Após vivenciar tanta morte por conta da pandemia, ficamos assim sem rumo, sem perspectiva, oca e retornamos devagarinho, passo a passo, as vezes um vazio, as vezes uma alegria sem explicação.

    6. É dor que rasga a alma.
      Perdi uma irmã há 21 anos e não a esqueço.
      Perdi o filho dela, há 01 ano e 11 meses e ainda sem me conformar, perdi meu amado pai no dia 01/01/2024.

    7. É dor que rasga a alma.
      Perdi uma irmã há 21 anos e não a esqueço.
      Perdi o filho dela há 01 ano e 11 meses e ainda sem me conformar, perdi meu amado pai no dia 01/01/2024.

  2. Acredito que a resposta a questão final seja que a alegria está dentro de nós, junto com as lembranças (prova de que o passado valeu a pena) e a vontade de seguir adiante na jornada da vida.
    Hoje faz 43 dias que minha mãe partiu para a morada eterna, pelo adoecimento tivemos (eu e minha irmã, únicas filhas) luto antecipado pela baixa perspectiva de cura, infelizmente não tivemos bom acolhimento na paliação (sou assistente social em um hospital geral e tento fazer diferente a partir do prognóstico, contudo ainda estamos presos a centralidade do tratamento na figura do médico). Estou tentando muito recuperar a alegria.

  3. A maneira como vc expõe o luto é tão linda! Ela nos trás uma forma de pensar que não nos é passada. O tempo de cada um, a trilha que cada um percorre é de cada um, gostaria que todos sentissem o mesmo que eu sinto ao ler a sua explicação. Desde o inicio da minha perda eu tive o lado da compaixão, apesar da dor, mas consegui reerguer uma mãe de uma amiga que perdeu a 5 anos o marido. E ela continua me procurando.
    Lembrar no dia a dia a.historia que vivemos e não fazer mal é tão bom. Foi uma vida de doação de um pelo outro e para Deus, ele era pastor e Deus o levou de forma trágica, porém preparou tudo de uma forma linda para mim que estava sozinha com ele e me deu forças que eu nem sabia que eu tinha.

    1. Olá, Claudia! Ficamos felizes que você goste e encontre conforto nos textos da Dra. Ana. Desejamos força para que você possa atravessar esse momento de luto sempre relembrando do amor lindo que construíram juntos. ❤️
      Um abraço carinhoso,
      Equipe ACQA.

  4. A maneira como vc expõe o luto é tão linda! Ela nos trás uma forma de pensar que não nos é passada. O tempo de cada um, a trilha que cada um percorre é de cada um, gostaria que todos sentissem o mesmo que eu sinto ao ler a sua explicação. O amor que vivemos é lindo, pois nos doamos um.ao outro e para Deus, pois ele era pastor.

  5. Todos os seus relatos têm.me ajudado bastante neste momento de muita dor. Perdi meu esposo, depois de 25 anos de casada no último dia 15/10. A dor, ainda, está imensa….seus registros são feitos pra mim, falam da minha dor, da saudade enorme que sinto. Obrigada por compartilhar seus conhecimentos….sei que vou atravessar a caverna!

  6. Que Deus continue te abençoando doutora, com sabedoria, pois suas palavras expressão todos os sentimentos sobre o luto, obrigada por escrever, divulgar, pois através da leitura das suas palavras, reconheço meus sentimentos.

  7. Não sei como voltar a ser alegre como antes da perca dos meus pais mas a dor já passou mas como é difícil que nunca mais você verá aquela pessoa meu Deus como é difícil encarar a casa dos seus pais e não vê mais eles não é nada fácil como gostaria que eles tivessem vivido mais.😔😔😔

  8. Estou fazendo esta travessia,eu que sempre acompanhei a dra.Ana,não me imaginei vivendo este momento por agora,e é sempre assim.Se a morte não é anunciada é um soco no coração!!

    1. É difícil a gente se imaginar nessas situações, não é? E, muitas vezes, a forma como reagimos é muito diferente daquilo que esperamos. Desejamos força para você lidar com tudo.
      Um abraço carinhoso,
      Equipe ACQA. ❤️

  9. Obrigada por compartilhar seus conhecimentos e seus livros, estão me ajudado muito a atravessar o luto pelo meu pai que desencarnou há pouco mais de um mês… ele é a minha alma gêmea.
    Que você seja abençoada e sempre leve luz aonde precisar!

  10. Não consigo explicar em palavras o que é o luto. Apegados que somos não deixamos o fluir da vida acontecer como deve.
    Não ter mais alguém em nossas vidas e conviver apenas com as lembranças nos dá certa paz pois ao voltar ao passado memórias de amor são vivas e acalentam nosso coração.
    Em alguns casos talvez memórias de dor não permitam lembranças que alimentem a alma.
    Para alguns o luto é ruim, para outros transformações da alma. E seguimos aprendendo com a vida……
    Que cada um viva o luto a sua maneira e continue vivendo os aprendizados necessários à sua evolução.

  11. A perda do amor da minha vida á 4 anos…Acalento me com as boas lembranças e as histórias gravadas em meu coração…e de saber que amei e fui amada e cuidamos desse amor até o fim.

  12. Estou no processo do luto perdi a minha mãe a 9 meses com câncer foi uma doença silenciosa que ela partiu em 4 meses e 1 dia depois do diagnóstico aí então estou nesse processo, não e fácil eu sempre falo que essa doença ela adoeceu toda família.
    E as pessoas da sociedade me julga muito por eu sofrer tanto por está na fase do luto ainda, mas lendo essa mensagem sua vi que o luto tem tem data marcada para terminar.

    1. Olá, Fernanda! O luto não tem somente uma maneira de acontecer, para cada pessoa é uma experiência diferente. Desejamos força e muito amor para você e sua família. ❤️
      Um abraço,
      Equipe ACQA.

  13. Perdi minha mãe há 2 meses, teve o luto antecipatório, mas a dor é imensurável. Ainda não consigo ver a alegria . Mas nossas lembranças juntas tem feito toda a diferença. Saudades infinitas 😭

    1. Oi, Vanuza! Sentimos muito pela perda da sua mãe. Receba o nosso abraço carinhoso – e que as memórias de vocês duas possam te confortar quando a saudade bater. ❤️
      Com carinho,
      Equipe ACQA.

  14. Perdi minha mãe há 2 meses, teve o luto antecipatório, mas a dor é imensurável. Ainda não consigo ver a alegria . Mas nossas lembranças juntas tem feito toda a diferença. Saudades infinitas 😭 O acordar e o momento mais cruel. É saber todos os dias que ela não volta jamais.

  15. Só quero agradecer uma amiga minha que me mandou seu link para eu ver workshop e desde aquele momento me encantei e comecei a entender e a lidar com essa dor interna, vc menciona tudo que sentia e comecei virar a chave e pensar em tudo de bom que vivi com minha mãe ontem fez 1 ano e 1 mês que ela descansou onde aqui na terra ela sofria com essa doença chamada câncer, hoje tenho certeza que não sofre mais e que está aqui dentro do meu coração vivendo cada dia e cada momento comigo e meus filhos… Obrigada a minha amiga que me fez conhecer vc e obrigada Ana por fazer eu renascer novamente desse luto e dessa dor que achava que não teria cura aos poucos estou revivendo e entendendo que o Luto dói mais que temos que viver aqui na terra e viver cada momento.

  16. Eu sinto muitas saudades da minha mãe. Ela partiu há um ano e nove meses, meu pai ficou viúvo depois de mais de 60 anos juntos. Nunca tínhamos pensado que o meu pai seria o viuvo e isso nos colocou num outro lugar. Saudades da mãe misturada a uma certa tristeza ao ver a realidade do pai que envelhece rapidamente porque sofre a falta da esposa e companheira. O luto da mãe e o luto antecipado do pai são presentes e é preciso vivê-los no amor. É o amor que me sustenta, o amor que sinto também nos meus irmãos. O cuidado e a presença.

    1. O amor é a força que nos move.❤️ Sentimos muito pela sua perda e mandamos um abraço apertado e carinhoso para você, seu pai e toda a sua família.
      Agradecemos o seu comentário,
      Equipe ACQA.

  17. Perdi a minha mãe há 7 dias, depois de um diagnóstico de câncer dois meses antes que mal deu chance a ela de lutar.
    Perdi meu pai há 20 anos, e não lembro de ter sentido tanta dor, tanta falta. Eu estava ao lado dela quando ela morreu, fiquei todos os últimos dias com ela no hospital, mas mesmo assim sinto uma culpa por várias coisas, inclusive por não ter percebido antes que ela estava com câncer.

    Uma dor, um desespero que falta o ar.

  18. Perdi meu irmão dia 29 de março de 2024, eu estava chateada com ele por conta de coisas que ele disse. Ah se eu soubesse que aquela quinta para sexta ele iria partir, eu o teria abraçado tão apertado e dito tudo que eu sentia, falaria dos nossos problemas. Eu o perdoaria e pediria o perdão dele. Nunca tivemos uma relação próxima, mas agora que ele se foi eu me dei conta do quanto ele significava para mim.

    Vá em paz, irmão. Agora você terá sossego. Perdão, por não ter sido a melhor irmã nem ter tido sabedoria para entender o quanto a vida é finita. Às vezes jogamos para o amanhã Eu tentei punir você com a minha indiferença e somando isso a minha dificuldade de mostrar sentimentos eu não pude desfrutar de coisas boas que poderíamos ter vividos juntos ou, simplesmente, dá um abraços apertado e fazer as pazes. Por de baixo de tantas mágoas descobri um amor que nunca pensei que existisse. Tanto tempo perdido alimentando ressentimentos, enquanto isso eu poderia ter tido maturidade para perdoá-lo e entender que você passou por muitas dificuldades e problemas. Queria ter tido mais boa vontade com você e passado uma borracha no que você fazia. Eu não aceitava as suas atitudes e escolhas. No fim, nada disso importa. Devemos nutrir boas memórias e fazer o bem a quem amamos e, até mesmo, a estranhos. Jamais aceitar desrespeito, mas há certas coisas que não vale a pena nutrir.

  19. Dra Ana Claudia, a sra poderia encaminhar alguém a um psicólogo pra tratar paciente em luto? Discutir falar. Uma perda horrível e desnecessário

  20. Nunca imaginei sentir uma dor tão grande,,, perdi um filho de 34 anos, maravilhoso, assassinato por 2 ladroes faz 4 meses.. tenho um buraco no peito… Com certeza a minha vida nunca mais será a mesma… repito todos os dias , varias vezes “eu te amo meu filho” e agradeço todas as alegrias que ele me deu… mas a saudade é enorme…e luto a cada minuto para seguir em frente

  21. Perdi meu pai dia 24/04/2024. Sinto ainda muita dor pela saudade que sinto dele. Moro no mesmo terreno onde ele morava com minha mãe e todos os dias falava com ele! Mas, apesar da dor, continuo grata a Deus pela oportunidade de ter convivido com ele! E tento cuidar da minha mãezinha com todo amor que ela merece!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *